Esta cartilha é resultado de uma pesquisa realizada pelo
Grupo Nós - Pesquisa Criativa.

O desafio,

a superação e a recompensa

desafio:

“O aluno motivado a aprender tende a perceber as tarefas a realizar como um convite a conseguir algo, como um desafio” (Tapia e Fita, 2004, p.31): 

SUPERAÇÃO:

As atividades mais desafiadoras são também as que contêm em si mais possibilidades de superação.

Recompensa = Avaliação

Na definição de atividades com objetivos muito bem delimitados, que permitam que as/os estudantes saibam por onde estão caminhando e exatamente onde devem chegar e quando/se lá chegarem qual será a recompensa: uma nota máxima; a possibilidade de ver seu trabalho finalizado; a admiração das/dos colegas e das/os docentes; uma determinada premiação; o sentimento de auto realização pelo próprio aprendizado; enfim, cada um destes ou vários deles.

 

A liberdade é indispensável para a formação dos/das estudantes, cabe o/a docente, apenas auxiliar para que esses possam desenvolver sua liberdade e a consciência de seu inacabamento, para assim se tornar um ser ético.

É preferível que a/o jovem tenha a liberdade para tomar uma decisão a partir de suas próprias reflexões por mais que isso possa lhe fazer “perder tempo”, do que não ter a oportunidade de desenvolver a competência de fazer essas escolhas incertas.

Um grande desafio para as/os docentes pode ser a fronteira entre a liberdade e a licenciosidade.

Entendemos que a liberdade é essencial para o desenvolvimento e resultado de um bom trabalho, porém ser licencioso pode colocar em risco todo esse processo de construção e realização.

Pensamos então um jogo de futebol, no qual esse jogo é o processo de aprendizagem. O campo é a sala de aula, que é nosso universo. No entanto não podemos esquecer que esse “campo” deve integrar e estimular a/o estudante, fazendo-a/o sentir-se participante do jogo.

Em contrapartida, temos o não universo quando os/as estudantes ficam sujeitos/as à ordens. Ou seja, uma sala de aula que não possui uma relação recíproca de comunicação entre o/a docente e os/as estudantes, caracteriza o não universo, isto é, no momento que o/a docente assume o papel de ordenar os conteúdos não permitindo a participação ativa das/dos estudantes.

- “O jogo é uma forma específica de atividade, como “forma significante,” como função social”

- “todo jogo se processa e existe no interior de um campo previamente delimitado”.

(HUIZINGA, 2000)

a informação a ser comunicada as/os estudantes, com a intenção de modificar o seu pensamento ou comportamento para melhorar a sua aprendizagem. (SHUTE, 2016)

O não feedback gera incertezas à\ao estudante. Para uma boa aprendizagem não bastam apenas aulas com conteúdos bem ministrados e processos de avaliação bem aplicados. O processo de aprendizagem será completo e eficiente, se, após a avaliação, o professor der um retorno à\ao estudante, pois sem a ocorrência do feedback permanecem lacunas no aprendizado, não sabendo que aspectos melhorar.

é algo que um indivíduo tem por possuir determinado conhecimento, está ligado à liderança, a uma hierarquia, no momento em que essa liderança desconsidera a opinião do outro, passa a ser autoritarismo. 

AUTONOMIA

E HETERONOMIA

Não é justo que as/os estudantes sejam tomados como iguais e exclua-se delas/deles seus passados e suas formações como indivíduos

Otimizar recursos visuais nas apresentações das aulas. Caprichar nos slides faz com que o/a estudante perceba que o/a docente preocupa-se com o momento da aula;

Dividir a aula em momentos específicos e demarcá-los claramente com os/as estudantes. É interessante que as/os estudantes saibam o que as/os espera e quais os objetivos de cada um daqueles momentos. 

Criar um documento de feedback em conjunto com os/as estudantes, com as questões que serão avaliadas na realização do trabalho. Através dessa construção conjunta e inicial os/as estudantes saberiam desde o pedido do trabalho até os aspectos que seriam cobrados na avaliação. Essa seria uma consideração mais detalhada e também mais objetiva, que poderia ser construída, inclusive, a partir de questões fechadas e com possibilidade de assinalar valores de 0 a 10. Dessa forma, o/a docente fugiria, também, das práticas institucionalizadas, já que os/as estudantes iriam participar da criação desse documento.

O teste a seguir foi realizado com objetivo de proporcionar um feedback para o/a docente em relação aos seus métodos de ensino. Para esse ser eficaz, é ideal ser aplicado primeiro para os/as estudantes e depois fazer uma comparação do seu resultado encontrado aquele indicado nas respostas dos/das estudantes.